11 de Dezembro de 2017  
Pedrógão de S. Pedro
ADRACES – Associação para o Desenvolvimento da Rai...

DISTRITAL DE CASTELO BRANCO - FASE FINAL
Começou com uma grande goleada a fase final do cam...

Pedrogao 1-0 Sernache
Em Pedrógão de S. Pedro a equipa da casa venceu o ...

Convívio Pedroguense 2010
Pedrógão convive em Oeiras ...

 
 

Capela de Nossa Senhora da Graça

IPA: Monumento

NºIPA: 0507090066

Designação
Capela de Nossa Senhora da Graça
Localização
Castelo Branco, Penamacor, Pedrógão de São Pedro

 

Acesso
R. e Lg. da Senhora da Graça

Protecção
Inexistente
Enquadramento
Enquadra-se em amplo largo, pavimentado a paralelepípedos.
Urbano, isolado, no centro de um largo formado por casas
de habitação e pavimentado a paralelepípedos,
em ligeiro declive.

 

Descrição
Planta longitudinal simples, de espaço único e cobertura homogénea em telhado de duas águas. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, excepto a principal em alvenaria de granito aparente, tendo as juntas preenchidas com argamassa de cimento, flanqueadas por cunhais apilastrados, formados por pináculos piramidais, os da fachada principal encimados por pequena pinha, e rematadas em friso, cornija e beiral. Fachada principal, virada a S., em empena, alteada relativamente à cornija, com cruz latina moldurada no vértice; é rasgada por portal de verga recta, flanqueado por pilastras toscanas de fustes almofadados, encimada por duplo friso e cornija, o superior de maiores dimensões e surgindo, entre eles, uma fresta de arejamento; possui porta de ferro pintado de verde, de duas folhas, dividida em apainelados decorados com losangos; é encimado por nicho em arco de volta perfeita, rematado por cornija, e ladeado por duas frestas rectangulares, com molduras salientes. Fachada lateral direita, virada a E., rasgada por fresta em capialço na zona do altar-mor, com caixilhos de alumínio e protegida por vidro martelado. Fachada posterior cega, em empena, alteada relativamente à cornija, com cruz latina no vértice. INTERIOR rebocado e pintado de branco, percorrido por alto lambril de madeira, pavimento cerâmico de cor cinzenta e cobertura de madeira em masseira, tendo o pano central em espinha de peixe.

 

 

No lado da Epístola, pequeno nicho em cantaria de granito com ampla moldura. Retábulo-mor de talha policromada de branco e dourado, de planta recta e um eixo formado por colunas de fuste liso com o terço inferior marcado por elemento fitomórfico e capitéis coríntios, assentes em plintos galbados com decoração fitomórfica dourada; no centro, nicho contracurvado, envolvido por filete dourado, contendo plinto com a imagem do orago e sendo ladeado por duas mísulas; remata em cornija, contracurvada na zona central, seguindo inspiração borromínica, sobre a qual assenta frontão interrompido, contendo espaldar recortado, decorado por enorme resplendor e coração inflamado; altar em forma de urna com o frontal decorado por elementos vegetalistas.

Utilização Inicial
Cultual e devocional: capela

Utilização Actual
Cultual e devocional: capela mortuária

Propriedade
Privada: Igreja Católica

Afectação
Sem afectação

Época de Construção
Séc. 18 / 19 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor
Desconhecido.

Cronologia
Séc. 18, final - provável construção do imóvel, uma vez
que não surge referido nas Memórias Paroquiais de 1758;
séc. 19, início - construção do retábulo-mor.


Tipologia
Arquitectura religiosa, maneirista e tardo-barroca. Capela de planta longitudinal simples, de espaço único, com cobertura interna de madeira em dois panos e iluminada por fresta em capialço rassgada na fachada lateral direita. Fachada principal em empena, rasgada por portal de verga recta, encimado por friso e cornija, ladeado por janelas rectilíneas. Fachadas circunscritas por cunhais apilastrados, encimados por pináculos e remates em friso e cornija. Interior com retábulo-mor de talha policroma tardo-barroca.



 

Características Particulares
Capela de estrutura maneirista, mas construída tardiamente, no final do séc. 18, onde se destaca o tratamento da fachada principal, cujo portal assenta em pilastras toscanas e é encimado por um nicho que entaipa uma primitiva fresta. O retábulo-mor, com características rococó, na estrutura, cornija contracurvada, colunas de fuste liso e decoração de concheados, assente em plintos galbados, é de execução tardia, como se verifica na utilização de elementos decorativos fitomórficos vazados no remate.

Dados Técnicos
Estrutura autoportante.

Materiais
Estrutura em alvenaria de granito rebocada; modinaturas, pilastras, cunhais, cornijas, frisos, cruzes, nicho em cantaria de granito; cobertura interna, lambril e retábulo de madeira; portal em ferro; janela com caixilhos de alumínio e vidro martelado; telha na cobertura exterior; ladrilho cerâmico no pavimento.

Bibliografia
Dicionário enciclopédico das freguesias, Matosinhos, 1998, p. 213.

Documentação Fotográfica
DGEMN: DSID

Intervenção Realizada
Proprietário: séc. 20, década de 90 - remoção do reboco da fachada principal e obras de conservação de rebocos e pinturas, coberturas e caixilharias, sendo colocadas novas, em alumínio.

Autor e Data
Paula Figueiredo 2004





o seu email