11 de Dezembro de 2017  
Pedrogao 1-0 Sernache
Em Pedrógão de S. Pedro a equipa da casa venceu o ...

DISTRITAL DE CASTELO BRANCO - FASE FINAL
Começou com uma grande goleada a fase final do cam...

Convívio Pedroguense 2010
Pedrógão convive em Oeiras ...

Pedrógão de S. Pedro
ADRACES – Associação para o Desenvolvimento da Rai...

 
 

Capela de Santo António e Calvário

IPA: Monumento

NºIPA: 0507090064

Designação: Capela de Santo António e Calvário

Localização: Castelo Branco, Penamacor, Pedrógão de São Pedro

Acesso: R. Nova de Santo António

Protecção: Inexistente

Enquadramento
Junto à fachada posterior do Solar de Marrocos, tendo, no lado esquerdo, grande depósito de água e, na fachada lateral esquerda, o Calvário. Ergue-se sobre afloramento rochoso. Largo fronteiro, dando a fachada posterior para duas vias públicas, pavimentadas a paralelepípedos, ladeadas por casas de habitação. Implanta-se em zona de declive. Urbano, isolado, na zona mais elevada da povoação, no centro de um pequeno largo, pavimentado a paralelepípedos, formado por casas de habitação de um ou dois pisos, algumas mantendo as características das casas beirãs, mas algumas muito descaracterizadas e ampliadas. Assenta sobre afloramento granítico e tem acesso por escadaria descentrada e ampla, de cinco degraus, na fachada principal, surgindo, no portal lateral três degraus adossados ao muro. No lado esquerdo, chafariz em granito, envolvido por muros de granito, formando espaldar paralelepipédico simples, com torneira inox na bica, que jorra para tanque semicircular, de bordos simples e assente em base mais estreita com o mesmo perfil, possuindo duas réguas de ferro para suporte do vasilhame.

Descrição
Planta longitudinal composta por nave, capela-mor mais estreita e baixa, tendo sacristia adossada às fachada lateral esquerda e posterior, de massas simples e coberturas diferenciadas a duas águas, a da capela-mor em aba corrida sobre a sacristia. Fachadas em alvenaria de granito aparente, com cunhais perpianhos em cantaria, excepto na principal, em pilastras toscanas, a direita firmada por pináculo piramidal com bola, e remates em beiral, excepto na principal, em friso e cornija. Fachada principal, virada a S., em empena com cruz latina no vértice, assente em plinto cúbico moldurado, sendo rasgada por portal de verga recta com moldura saliente e rematado por friso, cornija e frontão triangular interrompido por elemento concheado; possui porta em chapa metálica de duas folhas, dividida em apainelados decorados por losangos. Sobre a empena, no lado esquerdo, ergue-se alta sineira, com o paramento moldurado e rasgado por ventana em arco de volta perfeita, rematado por cornija, pináculos piramidais e pequeno tímpano semicircular, enquadrando cruz de Cristo. Fachada lateral esquerda, virada a O., com janela no corpo da nave rectilínea e moldura saliente, surgindo, no corpo adossado da sacristia, janela rectangular gradeada. Fachada lateral direita, virada a E., tem, no corpo na nave, janela em arco abatido e porta travessa de verga recta, ambas molduradas, surgindo, no corpo da capela-mor, janela rectilínea e gradeada, enquadrada por moldura em quadrifólio, sendo o corpo da sacristia cego. As janelas, com caixilhos de alumínio, são protegidas por vidro martelado e gradeadas.
INTERIOR rebocado e pintado de branco com pavimento em tijoleira vermelha, tendo corredor central cinza, e cobertura de madeira encerada em masseira. No lado do Evangelho, confessionário de madeira e púlpito quadrangular, assente em consola de cantaria, com guarda plena de talha policromada e dourada, tendo cartela de concheados, com acesso por escadas de cantaria no lado direito. Arco triunfal de volta perfeita, assente em colunas toscanas, tendo pedra de fecho volutada e, no intradorso, duas mísulas de cantaria que sustentavam a primitiva cobertura, tendo, no lado do Evangelho, painel de azulejo 2x3, monócromo e envolvido por moldura policromada, contendo a inscrição: "EM HOMENAGEM / A SEUS PAIS / S(enho)r JOSÉ DOS REIS / E D. MARIA DOS SANTOS CARRONDO, / SEUS FILHOS MANDARAM / RESTAURAR ESTA CAPELA, / NO ANO SANTO DE 1950". Capela-mor com cobertura em falsa abóbada de berço de madeira pintada de castanho, apresentando, ao centro, cruz de Cristo, e pavimento em lajeado de granito. Sobre supedâneo de um degrau, retábulo-mor, de talha policromada de branco e dourado, de planta recta e três eixos, divididos por finas pilastras toscanas e tendo, no exterior, quarteirões formando nicho central em arco de volta perfeita e duas mísulas laterais; remate em fragmentos de frontão e espaldar contracurvado, profusamente decorado por enrolametos e acantos e ostentando anjos de vulto encarnados e querubins, possuindo querubim central e cornija no too do espaldar; altar paralelepipédico incaracterístico, sobre o qual surge o sacrário em forma de templete poligonal, tendo na porta hóstia e decoração de acantos. Sacristia rebocada e pintada de branco, com pavimento em granito e cobertura em vigamento de madeira a uma água, contendo nicho de volta perfeita, envolvido por estrutura de talha.
CALVÁRIO assente sobre plataforma rectangular de três degraus, constituído por três cruzes latinas, de hastes molduradas e término em botão, assentes em plintos cúbicos, também moldurados, o central em todo o perímetro e tendo caveira e a data "1721" na face principal; a cruz central é mais alta, tendo a haste horizontal decorada por pequenos florões, surgindo na vertical duas tíbias cruzadas e, no remate, as iniciais "INIR.

Utilização Inicial
Cultual e devocional: capela

Utilização Actual
Cultual e devocional: capela

Propriedade
Privada: Igreja Católica
Afectação
Sem afectação

Época de Construção
Séc. 17 / 18 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor
Desconhecido.

Cronologia
Séc. 17 / 18 - provável construção do imóvel; séc. 18, inícios - feitura do retábulo-mor; 1721 - data no Calvário, correspondendo à sua construção; 1758 - referenciada nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo cura Manuel dos Santos Leitão, como estando fora da povoação e sendo pertença da Igreja Matriz; 1950 - restauro da capela pelos descendentes de José dos Reis e de Maria dos Santos Carrondo, com construção da sineira.

 

Tipologia
Arquitectura religiosa, barroca. Capela de planta longitudinal composta por nave, capela-mor e sacristia adossada à fachada lateral esquerda, com coberturas interiores de madeira e diferenciadas, em masseira na nave e em falsa abóbada de berço abatido na capela-mor, iluminada por janelas em capialço rasgadas nas fachadas laterais. Fachada principal em empena, encimada, no lado esquerdo, por campanário, rasgada por portal de verga recta, rematado por frontão interrompido. Fachada lateral direita com porta travessa, também de verga recta. Interior com púlpito no lado do Evangelho e retábulo-mor joanino. Calvário sobre plataforma quadrangular, com três cruzes, a central mais elevada e decoração mais elaborada.



Características Particulares
Destaca-se o tratamento dos vãos da capela, nomeadamente o portal, encimado por frontão interrompido por volutas e elemento concheado, e as janelas, todas com tratamentos distintos, revelando diferentes fases de construção, a janela da fachada lateral esquerda rectilínea e, as da fachada oposta, uma em arco abatido e outra quadrilobada. Fachada principal flanqueada por cunhais apilastrados e com remate em friso e cornija. A sineira é de época mais recente, proporcionalmente desequilibrada relativamente às dimensões do imóvel, contendo uma cruz de Cristo. Junto à capela surge o Calvário, tendo, as respectivas cruzes molduradas e uma delas datada.

Dados Técnicos
Estrutura autoportante (capela) / estrutura autónoma (Calvário)


Materiais
Estrutura em alvenaria de granito; cornija, friso, frontão, concha, cruz, pavimento da capela-mor, escadas e bacia do púlpito, sineira em cantaria de granito; Calvário em cantaria de granito; coberturas interiores, caixilhos, guarda do púlpito e retábulo de madeira; portas em chapa metálica; cobertura exterior em telha; grades das janelas em ferro; pavimento da nave em ladrilho cerâmico.

Bibliografia
Dicionário enciclopédico das freguesias, Matosinhos, 1998, p. 213.

Documentação Fotográfica
DGEMN: DSID

Documentação Administrativa
IAN/TT: Memórias Paroquiais (1758, vol. 28, n.º 127 - 907)





Intervenção Realizada
1950 - restauro da capela, com provável alteamento da empena da fachada principal e construção da sineira; séc. 20, década de 90 - restauro do retábulo-mor; arranjo dos rebocos interiores e coberturas; feitura de pavimento em ladrilho cerâmico na nave.

Autor e Data
Paula Figueiredo 2004

 

 

 





o seu email