11 de Dezembro de 2017  
Pedrógão de S. Pedro
ADRACES – Associação para o Desenvolvimento da Rai...

DISTRITAL DE CASTELO BRANCO - FASE FINAL
Começou com uma grande goleada a fase final do cam...

Pedrogao 1-0 Sernache
Em Pedrógão de S. Pedro a equipa da casa venceu o ...

Convívio Pedroguense 2010
Pedrógão convive em Oeiras ...

 
 

Igreja Matriz de Pedrógão de São Pedro / Igreja de São Pedro

IPA
Monumento

NºIPA
0507090063

Designação
Igreja Matriz de Pedrógão de São Pedro / Igreja de São Pedro

Localização
Castelo Branco, Penamacor, Pedrógão de São Pedro

Acesso
Lg. do Papa João XXIII e Lg. da Igreja; R. de São Pedro (campanário)


Enquadramento
Urbano, isolado, no centro de um amplo largo, de pendor inclinado, tendo plataforma artificial junto à fachada principal, vencendo o desnível, ficando, assim, em cota superior à principal via pública que atravessa o interior da povoação. No largo, pavimentado a paralelepípedos, implanta-se um chafariz, de planta triangular, tendo obelisco central de duas secções e rematado por pináculo, onde surgem três bicas, uma em cada face, que jorram para três pequenos tanques semicirculares possuindo réguas metálicas para o vasilhame, estando flanqueados por amplos maciços de granito de forma trapezoidal, que apoiam a estrutura. Adossadas aos muros da igreja, cruzeiros constituintes da Via Sacra, que culminava no Calvário, dois nos flancos da fachada principal e dois a ladear a porta travessa na fachada lateral direita. Os cruzeiros formam cruz latina, assente em plintos paralelepipédicos.


Descrição
Planta longitudinal composta por nave, capela-mor mais estreita e baixa, e sacristia adossada à fachada lateral esquerda, com coberturas diferenciadas em telhado de duas águas, que se prolongam em aba corrida sobre a sacristia.Fachadas rebocadas e pintadas de branco, excepto a principal, em cantaria aparente de granito, 

em aparelho isódomo, com as juntas pintadas de branco ou preenchidas a cimento, percorridas por embasamento saliente pintado de cinzento, excepto na principal em cantaria, e rematadas por friso e cornija. Fachada principal, virada a E., em empena, alteada relativamente à cornija, com cruz latina no vértice, assente sobre plinto cúbico, flanqueada por cunhais apilastrados, encimados por pináculos piramidais, rematados em florão; é rasgada por portal em arco de volta perfeita, com dupla moldura formada pelas aduelas, assente em pilastras toscanas e protegido por porta de duas folhas de madeira de castanho almofadada; é encimado por óculo circular e por dois silhares em cantaria, o inferior com as armas do orago, tiara papal e as chaves em aspa, e o superior com querubim.
Fachada lateral esquerda, virada a S., rasgada por porta de verga recta e janela com os extremos curvos, ambos com moldura de cantaria e, no corpo da sacristia, porta de verga recta e um janela jacente, surgindo, na face E., janela semelhante à do corpo da nave. Fachada lateral direita, virada a N., rasgada por porta travessa de verga recta, moldurada e rematada por frontão triangular, surgindo, na capela-mor, janela igual às anteriores. Fachada posterior em empena cega, com pináculos sobre os cunhais simples e cruz latina no vértice, tendo, no plinto, a representação de três cabeças, surgindo, no corpo da sacristia, em meia empena, uma janela rectilínea com moldura em cantaria de granito.

Utilização Inicial: Cultual e devocional: igreja matriz

Utilização Actual: Cultual e devocional: igreja matriz

Propriedade: Privada: Igreja Católica

Afectação: Sem afectação

Época de Construção: Séc. 17 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor
FUNDIDOR: Serafim da Silva Jerónimo.


Cronologia
1615 - data no lavabo da sacristia; 1628 - primeiros assentos de casamento e óbito; 1631 - primeiro assento de baptismo; séc. 17, final - feitura dos retábulos laterais; 1707 - o arciprestado de Penamacor integrava 21 igrejas, as das freguesias do concelho e as de Sortelha, Malcata, Santo Estêvão e Casteleiro; encontrava-se anexa à Igreja de São Pedro de Penamacor; 1712 - o Padre Carvalho da Costa refere que existem 150 vizinhos na freguesia; 1758 - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo cura Manuel dos Santos Leitão, surge referido que a paróquia tinha 204 vizinhos, estando a igreja dentro da povoação, possuindo cinco altares, o do Santíssimo Sacramento, Nossa Senhora do Rosário, das Almas, Senhor Crucificado e Santo Nome de Jesus, sendo um curato anual apresentado pelo prior de São Pedro de Penamacor,  com a côngrua de 8$500 e o pé de altar; séc. 19 - instituição da freguesia; construção dos retábulos mor e colaterais; 1940 - a igreja tinha os altares do Santíssimo, Sagrado Coração de Jesus, Nossa Senhora de Fátima, Almas e Crucificado; além das imagens dos oragos tem as de São José, Nossa Senhora da Conceição, São João, São Gabriel; 1971 - execução dos sinos pelo fundidor de Braga, Serafim da Silva Jerónimo.


 

Tipologia
Arquitectura religiosa, maneirista e barroca. Igreja de planta longitudinal composta por nave, capela-mor e sacristia adossada à fachada lateral esquerda, com coberturas interiores diferenciadas em betão, a da nave em masseira e a da capela-mor em falsa abóbada de berço abatido, iluminada por janelas rasgadas nas fachadas laterais. Fachada principal em empena, com vãos rasgados em eixo composto por portal em arco de volta perfeita e por óculo circular. Fachadas rematadas em friso e cornija, as laterais com portas travessas de verga recta. Interior com coro-alto assente em colunas incorporando pias de água benta lobuladas, pia baptismal no lado do Evangelho e retábulos laterais de talha barroca do estilo nacional e os mor e colaterais tardo-barrocos. Campanário isolado.
Dados Técnicos: Estrutura autoportante.

Materiais
Estrutura em alvenaria e cantaria de granito, parcialmente rebocada; campanário, modinaturas, pia baptismal, bases dos suportes do coro-alto, lavabo da sacristia e pavimento da capela-mor em cantaria de granito; sacrário em pedra de Ançã; coberturas interiores em betão e exteriores em telha; coro-alto, pilares do mesmo, retábulos e portas em madeira; silhares de azulejo industrial; pavimento da nave em ladrilho; janelas com vidro simples;
sinos em bronze.

Bibliografia
COSTA, P. António Carvalho da, Corografia Portugueza..., 2.ª ed., tomo II, Braga, 1868 [1.ª ed. de 1712]; LANDEIRO, José Manuel, O arciprestado de Penamacor, Vila Nova de Famalicão, 1940; Inventário Colectivo dos Registos Paroquiais, Lisboa, Dezembro de 1993; Dicionário enciclopédico das freguesias, Matosinhos, 1998, p. 213.


Documentação Fotográfica
DGEMN: DSID

Documentação Administrativa
IAN/TT: Memórias Paroquiais (1758, vol. 28, n.º 103-660)

Intervenção Realizada
Proprietário: séc. 20, 2.ª metade - feitura de novas coberturas e pavimento da nave; substituição do coro-alto; tratamento de rebocos e pinturas; colocação de silhar de azulejos no interior; restauros das estruturas retabulares.

Autor e Data
Paula Figueiredo 2004






o seu email